terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Se perguntarem aonde fui, diga-lhes que não sei, mas que não tenho intenções de voltar. Gastamos tempo demais ao léu da pior das paralisias, acorrentados a sentimentos que, pela falta de movimento, nos fazem adoecer. Não busco um lugar, busco entrar mais em contato, porque gastamos tempo demais ao léu da pior das paralisias, esquecendo por completo o que nos rodeia, esquecendo-se até de nós mesmos. Que tipo de olhar tem alguém que é invisível a si mesmo? Mais contato, por favor.

2 comentários:

  1. Nossa, esse tocou fundo. Parabéns :)

    ResponderExcluir
  2. Cheguei aqui por causa da imagem, que me atraiu. Mas muito bom o texto. Faz chacoalhar os pensamentos. Obrigado!

    ResponderExcluir